A editora Anablume e o Itaú Cultural lançam o “Exaurir a dança: Performance e a política do movimento”

No dia 11 de agosto, sexta-feira, às 20h, o Itaú Cultural realiza o lançamento de Exaurir a dança: Performance e a política do movimento na sala Multiúso do instituto. O livro do professor da New York University, dramaturgista e curador André Lepecki, teve a sua primeira edição há 11 anos, mas a temática, que desestabiliza os parâmetros que nortearam a dança até então, permanece atual. O lançamento é acrescido de debate sobre o assunto, aberto ao público, entre o autor, a professora Christine Greiner, que escreve o prefácio da obra em português, o pesquisador José Fernando Azevedo, com a mediação do professor de Crítica, História e Teoria do Teatro Luiz Fernando Ramos.

 

André Lepecki Crédito: Malthe Stigaard

André Lepecki                                                                                              Crédito: Malthe Stigaard

“Exaurir a dança nunca significou para mim acabar com a dança, acabar com o dançar, mas sim identificar de que modo vários coreógrafos e dançarinos, por via da dança, acharam fundamental detonar uma certa ideia ou imagem de dança que bloqueava o seu devir enquanto arte pois a obrigava, aliás a condenava, a um agito sem fim”, esclarece Lepecki, antes de iniciar a sua análise. “Esse agito impedia a efetivação das promessas políticas, estéticas, teóricas e afetivas de uma dança que se interessava também por se tornar agente de intensificação do seu campo interventivo”, completa.

Para Christine, a tradução do livro para o português – realizada pelo professor da Universidade Federal do Ceará Pablo Assumpção, com edição da Annablume e apoio do Itaú Cultural – chega em boa hora. “Tendo em vista a situação da dança e das artes em nosso país neste fatídico ano de 2017 – marcado por forte instabilidade política e econômica – a sua leitura será certamente bastante distinta daquela que teria acontecido no momento de sua primeira edição, em 2006”, observa. Um marco na discussão da historiografia dos corpos que dançam é o título do prefácio assinado por Christine, que é livre-docente pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP).

O contexto no qual o livro emerge tem como ponto de partida algumas questões importantes, mas a principal, ou pelo menos aquela que impactou alguns leitores – entre os quais me incluo – foi a construção conceitual e sensível de uma demonstração muito bem fundamentada das transformações que aconteciam naquele momento com a dança”, escreve ela. “Através de bibliografias e da análise de processos artísticos, Lepecki detectou como, nos primeiros anos do novo milênio, alguns artistas desestabilizaram os principais parâmetros que a tornavam reconhecida como dança até então.” Christine observa que, como estava ocorrendo com outras linguagens, havia uma certa exaustão de paradigmas e metodologias para pensar suportes e procedimentos.

Assim, na opinião dela e de Lepecki, a questão das singularidades da dança foi se tornando cada vez mais importante, pedindo por um exercício diferente de análise. “As pontes com a performance tornaram-se, pouco a pouco, inevitáveis, assim como uma certa concepção de coreografia como um modo de pensar o sujeito como corpo, e não mais como uma escrita da dança em tempo e espaço”, prossegue Christine.

 

Sobre o autor e os debatedores

André Lepecki, ensaísta, crítico e dramaturgo, é professor na Tisch School of the Arts da Universidade de Nova York. Recentemente publicou também Singularities : Dance in the age of performance (Routledge, 2015)

Christine Greiner, livre docente pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, é professora do Programa de Estudos Pós-graduados em Comunicação e Semiótica da mesma instituição.

José Fernando Azevedo, doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo (2007), é professor da Escola de Arte Dramática da ECA/USP e diretor e dramaturgo do grupo teatral Teatro de Narradores.

Luiz Fernando Ramos, livre docente pela USP, é Professor Associado da Escola de Comunicações e Artes da mesma instituição. Publicou recentemente Mimesis Performativa – a margem de invenção possível (Annablume, 2015).

 

Serviço do lançamento:

Lançamento do livro Exaurir a Dança: Performance e a política do movimento
Debate: Exaurir a Dança: em torno de um livro fundamental
Com André Lepecki, Christine Greiner, José Fernando Azevedo e mediação de Luiz Fernando Ramos
Dia 11 de agosto, às 20h
Itaú Cultural – Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô
Sala Multiúso

Duração: 120 minutos
Capacidade: 90 lugares
Classificação Indicativa: Livre

Distribuição de ingressos:
Público preferencial: duas horas antes do evento | com direito a um acompanhante
Público não preferencial: uma hora antes do evento | um ingresso por pessoa
Interpretação em Libras.

10.8.2017
 
Author: Cristiane Joplin

Redatora do Guia de Teatro

Adicionar comentário